Quando nasci medicina, a sociedade e a minha família me viram mulher. Fui criado como menina. 

Entretanto, não sou mulher. 

Em 2015  mudei de gênero e nome.

Reivindiquei que pessoas ao meu redor me chamassem pelo nome de ARIEL e que se referissem a mim no masculino: ELE/DELE.

 

Fiquei sem trabalho, sem dinheiro e sem perspectiva. 

Decidi pelo pior.

Mas no último minuto resolvi escrever uma mensagem para alguém especial, queria registrar o que seriam minhas últimas palavras. 

Entre a morte e um papel em branco: escrevi a frase PRECISO DIZER QUE TE AMO. 

Comecei a chorar, e segui escrevendo a frase durante toda a noite. 

Desde então escrevo PRECISO DIZER QUE TE AMO no mundo. 

O ato de escrever PRECISO DIZER QUE TE AMO sem parar se transformou em uma campanha de prevenção ao suicídio e valorização da vida de homens trans. 

Ser homem trans é a minha sentença de vida e escreverei PRECISO DIZER QUE TE AMO até meu último dia na Terra! 

preciso-08.png

Nossas 

Vidas

Precisam

Ser 

Vividas

O Filme

Em 2017 ganhei o Edital de Curtas da Spcine e pude em 2018 produzir e lançar o Filme Preciso Dizer que Te Amo. 

O documentário estreou no Festival Internacional de Curtas de São Paulo e ganhou um prêmio Favoritos do Público. 

Em 2019 o curta foi indicado ao Grande Prêmio de Cinema Brasileiro e ganhou o prêmio Melhor Filme no Goiânia Mostra Curtas.

 

Saúde Mental é assunto o ano todo e a arte é uma ótima forma de abrir diálogo.

 

Conte comigo para gerar conexões através de produção de conteúdo, performances, curadorias e exposições.  contato@arielnobre.com.

A obra é feita em parceria com a artista e pesquisadora Caroline Ricca Lee. Ela costurou 10 metros de roupas usadas para que Ariel escrevesse Preciso Dizer que Te Amo.

Sesc Santana.PDQT.15.09.19-26 - cópia.j

Não estamos sós,

estamos nós.

A Instalação

preciso-08.png

festivais