Assinatura_VIACRUCIS_Prancheta_1_cópia

Performance de Ariel Nobre e fotos de Tarcísio Paniago.

 

A fotobiografia está anexada ao acervo oficial do Museu Nacional da República, em Brasília - DF. 

 

A Via Crucis é a superação da morte para ser quem se é - via um processo doloroso. 

 

A série fotográfica retrata minha transição, do feminino para masculino,  conectando com a jornada de Jesus pelas estações da Via Sacra, nas quais vivemos e morremos para ressuscitar em seguida.

 

Não é fácil ser homem trans no Brasil, onde se tem os índices mais altos de homicídio Transfóbicos no mundo segundo a ONG Transgender Europe. Através da Via Crucis expresso o meu desejo de viver sendo quem realmente sou.

RECONHECIMENTO

Somos banidos do paraíso sem cometer nenhum pecado.

Tarcísio Paniago nasceu em 1985, é brasileiro e estuda Artes Visuais na Universidade de Brasília. Realizou exposições em diversas cidades no Brasil, Portugal, França e Suíça. Em 2018, foi um dos artistas convidados para a exposição ACT – Arte Ciência Tecnologia, no Museu Nacional da República e, em 2019, participou da exposição Bio O Quê?, realizada no Espaço Oscar Niemeyer. Recebeu o Prêmio FAC Cultura e Cidadania 2018 pelo trabalho Via Crucis, em coautoria com Ariel Nobre, e uma tiragem da série fotográfica foi incorporada ao acervo do Museu Nacional da República.

Via Crucis esteve em exposição, em 2016, no espaço cultural Obere Mühle (Dübendorf, Suíça) e, em 2018, na galeria EIXO Arte (Rio de Janeiro – RJ), na mostra Como resistir nos dias de hoje?, realizada no Fórum Social Mundial (Salvador – BA), no Museu Nacional da República (Brasília – DF), na mostra Projeto Pesadelo, realizada pelo Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina (Florianópolis – SC), no 54º Salão Jauense Internacional de Arte Fotográfica (Jaú – SP), no Festival de Fotografia de Paranapiacaba (Santo André – SP), no Centro de Ensino Médio 01 (São Sebastião – DF) e na Maison du Brésil (Paris, França).

 

Em 2019, esteve em exposição na Matilda Casa (São Paulo - SP), na FUNARTE – Galeria Fayga Ostrower (Brasília – DF), no Espaço Cultural Trocais (Paraty - RJ) e na Cia. Pé na Estrada – Teatro de Quintal (Unaí – MG). Foi contemplado no edital Conexão FAC e também recebeu o Prêmio FAC Cultura e Cidadania 2018, ambos promovidos pelo Fundo de Apoio à Cultura do Governo do Distrito Federal, e uma tiragem da série fotográfica foi incorporada ao acervo permanente do Museu Nacional da República (Brasília – DF).

Pelo direito à alma.

Quem procura vida eterna, luta por vida na Terra.